Os reajustes nos preços dos combustível têm incomodado taxistas e motoristas de aplicativo que precisam do produto para trabalhar. Em Palmas, esses profissionais têm sentido no bolso o peso desses aumentos constantes e já não sabem como evitar prejuízo no final do mês.

Um dos taxistas pioneiros de Palmas, José Paulo Santos, teve que ampliar seus atendimentos com a chegada dos aplicativos de transporte. Mesmo com as mudanças, o motorista ainda encontra dificuldade para garantir o sustento dirigindo.

Preço dos combustíveis interfere no lucro de motoristas de aplicativo e de táxi

Preço dos combustíveis interfere no lucro de motoristas de aplicativo e de táxi

“Levanto às 5h e vou até as 19h, todos os dias. No final do mês não sobra muita coisa. Vou ser sincero, acho que não sobra nem um salário mínimo, a gasolina come tudo”.

Entre o mês de julho de 2020 para julho deste ano, o Procon registrou um aumento de 37,75% no valor da gasolina, 28,22% no preço do diesel e 51,53% do etanol. Mas essa não é a única despesa dos motoristas. Para manter o veículo em boas condições, eles ainda gastam com a manutenção básica do carro.

Diego da Silva usa o aplicativo para complementar a renda, mas tem gastado mais do que tem ganhado. “Ontem mesmo eu troquei os quatro pneus do carro e fiz uma manutenção básica e gastei na faixa de uns R$ 1,5 mil”, disse.

A situação tem afetado também quem utiliza os serviços. “Notei que caiu o número de motoristas e corridas aceitas. Eu e as pessoas que conheço estão tendo dificuldades com isso”, diz a usuária, Wanessa Botelho.

Para o economista da Fundação Getúlio Vargas, Alberto Ajzental, os motoristas têm sido prejudicados porque os aplicativos não alteram os valores das corridas conforme o preço do combustível aumenta.

“O problema dos aplicativos é que os motoristas não definem o preço. Quem define o preço é a própria plataforma, então na medida que os custos sobem, eles não tem autonomia para definir preço. Isso acaba gerando prejuízo”.

Algumas plataformas têm reduzido os custos para diminuir o impacto das despesas por parte dos motoristas. O dono de uma empresa de transporte por app de Palmas, Jheimisson Campos, chegou a adotar algumas medidas para ajudar esses profissionais.

“A primeira estratégia que nós utilizamos foi a redução da tarifa que a nossa empresa cobra do motorista. Então isso faz com que ele aceite mais corrida na nossa plataforma. E a segunda estratégia que utilizamos foi obter desconto no posto de combustível e estabelecimentos para que o motorista consiga reduzir o gasto dele enquanto ele estiver fazendo viagem pelo app”.

Mesmo com essa situação, há quem tem esperança do cenário melhorar. Taxista há 8 anos, José Divino, acredita que com chegada das vacinas o fluxo de passageiros pode aumentar. “Agora que vai começar as aulas, acho que vai melhorar. A vacina chegou né? Eu mesmo já vou tomar a segunda e aos poucos a gente vai voltando”.

Fonte original